quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Chuva Na Alma

Chovia muito naquele dia
Em que tu disseste adeus
A água da chuva era fria
Quente a dos olhos meus
 
Fiquei olhando seu caminhar
Até desaparecer na névoa
Sentindo a saudade apertar
Em meu coração sem trégua
 
A chuva já parou lá fora
Mas não em minha alma
Meu coração ainda chora
Minha mente sem calma
 
Eu ouvi com atenção
A tudo o que falaste
Mas em meu coração
Sem sentido ficaste
 
Queria muito entender
O porquê desse final
Deixando de padecer
Obtendo a paz afinal
 
Sigo sem refrigério
Sentindo toda a dor
Com esse mistério
E sem o teu amor
 

Um comentário:

  1. parabens .linda poesia ,se persebe que vc as escreve com a alma.belissima.

    ResponderExcluir

Muito obrigado por sua opinião.